A violência como instrumento de dominação


Violência Doméstica 04No sistema capitalista patriarcal, as mulheres e seus corpos são considerados coisas, propriedade dos homens e devem, portanto, sempre estar a seu dispor
Clarisse Goulart Paradis

O ano chega ao fim… O trabalho não!


429988_184520901656269_100002950813603_290050_2137941679_nO ano de 2012 que hora se finda, foi muito bom ara a Cena do Hi Hop de Minas Gerais, vários artistas despontaram, alguns lançaram seus álbuns de estréia, outros saíram em excursão pelo estado, pelo país e até para o exterior.

Renegado se prepara para alçar outros grandes voos


res20111027131816348043eCinco anos após lançar seu primeiro disco, Renegado se prepara para alçar outros grandes voos
Altino Filho – Do Hoje em Dia

A Evolução da Rap: Minas na Vanguarda


429988_184520901656269_100002950813603_290050_2137941679_nO elemento mais popular da Cultura Hip Hop é sem dúvida o Rap. Desde o inicio da década de 90 o Rap não parou de crescer e evoluir. No principio era só protesto e denuncia, ainda hoje muitos buscam trilhar este caminho, mas já tem gente fazendo coisa nova, pois a nossa realidade não é só violência; tem amor, a fé e esperança.

Esperança de um futuro mais igualitário


600--negroAos poucos, a população afrodescendente conquista importantes espaços na sociedade brasileira e de outros países. Contudo, muitas distorções precisam ser superadas
Por:Max Milliano Melo

Chance de vencer o preconceito


Negros Cativos 002ONU declara os próximos 10 anos como a Década das Pessoas com Ascendência Africana. objetivo é valorizar a cultura e a cidadania dessa população
Por:Max Milliano Melo

FIM DO MUNDO


20121215114749_maias_468x400“Não foi dessa vez o fim do mundo, mas fica o grande aviso do calendário da civilização dos maias, que desapareceram por ter no seu tempo esgotado os recursos naturais da Terra, pereceram por falta de água e alimentação.

Minas de Minas – As Poderosas do Grafite


Pintura-Casa-sem-Paredes1-550x414aGrupo de grafiteiras espalha cores, letras e personagens nos muros de Belo Horizonte
Quarteto formado pelas artistas Krol, Viber, Musa e Nica também tem trabalhos em outras cidades do estado.

Alerta para ‘pandemia’ de mortes de jovens negros


As mortes por assassinato de jovens negros no país são, proporcionalmente, duas vezes e meia maior do que entre os jovens brancos. Em 2010, o índice de mortes violentas de jovens negros foi de 72, para cada 100 mil habitantes; enquanto entre os jovens brancos foi de 28,3 por 100 mil habitantes. A evolução do índice em oito anos também foi desfavorável para o jovem negro. Na comparação com os números de 2002, a taxa de homicídio de jovens brancos caiu (era 40,6 por 100 mil habitantes). Já entre os jovens negros o índice subiu (era 69,6 por 100 mil habitantes).

“Só cotas para a universidade não resolvem o problema”

Só as cotas não resolvem porque a universidade está muito distante da maioria da população. Quem vai para a universidade são negros que estão no processo de ascensão.
Professor da Ufes, Antônio Carlos Moraes quer verba para aluno negro da educação básica.

A Revolta da Chibata


“Para as faltas leves, prisão a ferro na solitária, por um a cinco dias, a pão e água; faltas leves repetidas, idem, por seis dias, no mínimo; faltas graves, vinte e cinco chibatadas, no mínimo.” A gota d’água para eclodir a revolta foi o castigo aplicado a um marinheiro negro que, ao invés das 25 chibatadas, levou 250.

‘Infelizmente o racismo ainda está aí, ainda existe’, diz Lázaro Ramos


“Ali era o nascedouro de tudo”, observa. “Antigamente, se for pensar, a luta era somente para ter onde morar. Tudo se passa apenas quinze anos após a abolição da escravatura, em que a princesa Isabel deu uma canetada com duas frases, que não explicavam o que ia acontecer com esse contingente todo (de negros) que veio para o Brasil. A luta das pessoas era para ter o que comer. Era mais primal”, analisa o ator.

Efeitos do álcool no seu organismo


O álcool presente nas bebidas alcoólicas é o etanol. Assim que você ingere o primeiro gole, uma pequena parte das moléculas de etanol já começa a entrar na sua corrente sanguínea pela mucosa da boca.

Bebida na adolescência


Pesquisas recentes constatam que o álcool é a droga mais usada por adolescentes. O pior é que o consumo vem aumentando, principalmente entre os mais novos e as meninas: quase metade dos jovens de 12 a 17 anos já usou bebida alcoólica. Nos anos 1980, o consumo iniciava-se entre os 16 e 17 anos. Atualmente, ocorre entre os 12, 14 anos, e o uso frequente tem crescido.

Álcool é droga


Cerca de 5% dos trabalhadores brasileiros são alcoólatras, sendo essa a terceira causa de falta ao trabalho.
Torna-se urgente regulamentar também os conteúdos e os horários das sedutoras propagandas de bebidas na mídia desmistificando o perigoso mito de que “beber é um mal menor”. É importante que ogoverno e a sociedade civil reconheçam que o álcool é também uma perigosa e devastadora droga.

Metas


Eus-R*
O sucesso sempre incomoda os medíocres ambiciosos, os sonhadores incapazes e os fracassados em geral, pois esse pessoal que morre de inveja talvez não conhece bem a Cultura Hip Hop

Festival de gifs


O Tumblr lançou um festival de gifs animados, o Moving the still. As inscrições estão abertas até 7 de novembro. Os trabalhos selecionados serão exibidos, ao vivo, durante a Semana de Arte de Miami 2012, em dezembro. Os gifs de cada categoria serão anunciados em 26 de novembro. Os outros serão apresentados no blog do evento e compartilhados para toda a comunidade do Tumblr. A curadoria é do Paddle8, principal destino on-line para colecionadores de arte. Este ano os gifs completaram 25 anos em junho.
Veja mais detalhes : movingthestill.tumblr.com
http://movingthestill.paddle8.com/
###################################################################################################################################

Arte: Grafites de BH mapeados


Quem tem um olhar um pouquinho mais atento já percebeu que na Rua da Bahia, no Centro de Belo Horizonte, há diversos grafites e que em muitos muros da cidade surge a figura de um simpático bolinho ou um garotinho sapeca pintado como um palhaço. Para catalogar esse trabalho de arte urbana, surgiu o Olhesse Muro

A criatividade urbana de Banksy


Quem disse que é preciso ser famoso para fazer sucesso? Apesar do aparente paradoxo, o grafiteiro Banksy se encaixa no perfil de artista que todo mundo conhece, mas ninguém sabe exatamente quem é. Suas grafites e intervenções urbanas são internacionalmente notórias, mas até hoje sua real identidade permanece em segredo.
Para ver mais, clique aqui: www.banksy.co.uk
Escrito por Nathalie Bonome

A voz da rua


Livros explicam a trajetória do grafite no Brasil e no mundo. Enquanto o inglês Banksy provoca a sociedade globalizada, brasileiros usaram as ruas para contestar a ditadura.
Por:Walter Sebastião

Grafite une realidades


Projeto desenvolvido pela Vale aproxima comunidade de uma das unidades da empresa em BH. Pintura de muro foi resultado de trabalho de dois meses, que incluiu história da arte e visita a museu.
Por:Junia Oliveira

Missão possível


Missão possível Desafiadas pelo Hemominas a captar voluntários, muitas crianças aprendem sobre a doação sanguínea e convencem adultos a doar. Elas estão certas de que no futuro farão parte dessa rede.
VEIAS SOLIDÁRIAS
Por:Luciane Evans

Monteiro Lobato:Muito além do politicamente correto


Quem foi criado em meio aos livros, e entre eles os de Monteiro Lobato, pôde aprender duas coisas: quem não vê bem uma palavra não pode ver bem uma alma e aqueles que queimam livros acabam cedo ou tarde por queimar homens.
Por: Vera Lopes da Silva

Hip hop, o pai que Dexter não teve


Há um ano e meio com sua liberdade definitiva, o rapper Marcos Fernandes de Omena, 39, mais conhecido como Dexter, relata os problemas do sistema carcerário brasileiro, de como o hip hop interveio em sua vida e do cotidiano violento que hoje vive as periferias
Por:José Francisco Neto,de São Paulo

A nobreza de Chico Rei


Em meio a festas consagradas a Nossa Senhora do Rosário, em ritmo de congado Ouro Preto revive hoje, com uma peça de teatro, a figura do escravo que comprou sua liberdade.
Por:Gustavo Werneck

Teatro na Casa do Beco. 09/10/2012


Donas de casa do Morro do Papagaio formam grupo de teatro e vivem a descoberta da arte.
Experiência das atrizes amadores no grupo Entre Elas é ponto de partida para interação com as linguagens artísticas na comunidade do Aglomerado Santa Lúcia, em Belo Horizonte.

Família de Rua lança clipe Mestre sem Cerimônia nesta sexta


]
Estrelado pelos MCs Douglas Din, Well, Inti, Kdu dos Anjos, H.Apocalypse, Pedro DDG, Fabrício FBC, Vinição e Leozin, clipe será lançado às 16h.
Por:Fernanda Machado – Portal Uai

Projeto usa grafite para retratar moradores nas paredes do centro de Paris


Projeto usa grafite para retratar moradores nas paredes do centro de Paris
Por: EFE Javier Albisu

Artista de rua britânico faz obras com críticas aos Jogos Olímpicos de Londres


Artista de rua britânico faz obras com críticas aos Jogos Olímpicos de Londres.

Monteiro Lobato e o racismo entre nós


Eu já não era tão jovem quando se dizia que a melhor definição de bobo era do sujeito que não consegue mascar chiclete e andar ao mesmo tempo.
Por Paulo Moreira Leite

A favela vai muito além de uma “cultura favelada”


Acompanhado a essa glamourização vem também um preconceito bem sutil, que pode mesmo ser disfarçado de boa intenção e valorização da população favelada. É o preconceito de acreditar que, na favela, só se produz uma “arte favelada”, só existe uma “cultura favelada”. E o que é, afinal, essa cultura?

Poesia das ruas


Novos artistas do hip hop em Belo Horizonte levam para a arte suas experiências de vida

O ringue do rap


No passado, grandes figuras da nossa literatura, como Carlos Drummond de Andrade e Fernando Sabino, costumavam escalar os arcos de um dos cartões-postais de Belo Horizonte, o Viaduto de Santa Tereza. Hoje, é embaixo dele que a arte e a cultura se manifestam. O lugar, palco de um dos eventos de rua mais genuínos da capital, o Duelo de MCs
Caras do rap Duelo de MCs completa cinco anos e revela nova geração de artistas do hip hop em Minas. Com mais de 200 disputas realizadas, qualidade do evento é reconhecida em todo o Brasil.

Ex-detento, rapper fala do cotidiano dentro e fora dos presídios


Meu contato com o rap foi na cadeia. Eu já estava cansando de tirar cadeia e entrando na finalidade de sair da cadeia e parar. Eu já conhecia o rap. Sou da quebrada do Mano Brown, dos Racionais. Eu o via no ônibus, mas não era muito de conversar, só de cumprimentar. Eu falei pra minha irmã ir na casa do Brown e pegar o endereço pra mim. Eu escrevi pra ele que estava querendo parar com o crime e que tinha umas letras de música que ia mandar pra ele. Ele disse que se eu tivesse compromisso de parar com o crime e não tivesse nada errado que possa prejudicar o movimento ele me daria uma força. Foi nessa que eu ingressei. Eu próprio sou uma testemunha que o rap muda e pode mudar.

COCAÍNA » Mulher é mais dependente


Outra razão para o vício feminino é que a variação hormonal causada pelo ciclo menstrual atrapalha as mulheres que tentam sair da dependência. “O corpo se adapta a uma configuração, quando a mulher interrompe o uso da droga, mas o ciclo menstrual muda e o corpo entende que deve mudar também. Isso confunde organismo feminino”, disse Madruga. A pesquisa aponta ainda que as mulheres tem maior tendência a misturar cocaína com álcool do que os homens

Apenas 1% doa sangue em MG


Hemominas pode parar de atender a casos que não sejam de urgência

Uma polícia para ricos e outra para pobres em Belo Horizonte 11/09/2012


A classe social determina o tipo de atendimento que a pessoa vai receber da polícia. A afirmação parte de especialistas em segurança pública e da população, que percebe a diferença na abordagem nos aglomerados e em regiões nobres da capital.

Cotas para negros: avanço ou retrocesso?


Essa lei de cotas é a negação da miscigenação, uma verdadeira manipulação das estatísticas, escondendo sérios problemas sociais, apenas dividindo nossa nação em duas cores. Essa lei lamentavelmente promoverá o ódio racial. E quem é contra essa lei absurda é imediatamente classificado de ser da elite branca. Cotas no Brasil, se houver, deveriam ser para proteger os pobres, marginalizados, os excluídos, sejam eles negros ou não.

Forças Armadas e a inclusão racial

Forças Armadas passam ao largo de discussão sobre inclusão racial
Por:LUIZ FELIPE DE ALENCASTRO

A final o Rap tem dono?


Faço a pergunta já sabendo varias respostas e questionamentos. Este texto é um desabafo e também desagravo a uma pessoa que não precisa que se sai em sua defesa, pois quem a conhece ou é da Cultura Hip Hop sabe muito bem que Jackie Carvalho é guerreira e sua luta é comum a todos nós que buscamos trilhar pelo certo, respeitando os limites e preferência musical dos outros.

Vietnã: O horror não termina


Assim funciona a justiça ali: seletiva discriminadora, arrogante e insensível à dor humana onde quer que se inflija.
Talvez foi há pouco que Vo Duc deixou de culpar à fatalidade divina da diabetes que padece, o câncer que devora a sua mulher e os numerosos abortos espontâneos da filha de ambos.

Pesquisa mostra que álcool aumenta risco de câncer


Cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, divulgaram nesta quarta-feira (22) a primeira evidência de que a bebida alcoólica pode ser cancerígena. A descoberta surge quase 30 anos depois dos primeiros estudos da área levantarem uma ligação entre o consumo de álcool e certos tipos de tumor.

Nova droga corrói pele e músculos e deixa ossos à mostra



Uma nova droga tem se espalhado pela Rússia e dizimado seus usuários. Produzida a partir da mistura de comprimidos de codeína, gasolina, solvente, ácido hidroclorídrico, iodo e fósforo vermelho (obtido de caixas de fósforo comuns), o krokodil causa efeitos devastadores.